domingo, fevereiro 28

Apetecia-me...

Ora.. este post vai ser de um cariz completamente diferente dos anteriormente publicados...
E porquê perguntam vocês.
Ao que eu respondo: foi-me pedido, senão quase exigido por várias pessoas que voltasse a escrever...
E eu como boa pessoa que sou, vim escrever.



O que sucede é que eu estou a precisar de um refúgio.. Um local para me esconder, para fugir, para organizar as ideias... Para me ENCONTRAR.
Ultimamente tudo o que eu tenho tomado por garantido desmoronou-se. Tal acontecimento baralhou-me de tal forma as ideias que já não sei quem sou.. sim, parece ganda cliché, frase batida, whatever, mas é o que eu sinto... Perdi-me e não consigo encontrar o caminho de volta... 
Eu estou frustrada por estar tão longe da pessoa que eu quero mesmo ser, ou, por estar  longe de querer ser alguém de facto.
Eu não controlo o meu rumo... limito-me a seguir os meus  sapatos... para onde me levarem, é para onde vou.


Por tudo isto, apetecia-me fugir pra bem longe...


Mas como? Não posso... há coisas, há pessoas, há sentimentos que me prendem aqui...
Daí eu dizer apetecia-me.. É algo inantigivel, longe como o crl mas acaba por ser um mal necessário:
Obriga-me a enfrentar os problemas de frente
Obriga-me a dar a mão a quem precisa
Obriga-me a sair da minha "comfort zone"
Obriga-me a  procurar
Obriga-me a reconhecer
Obriga-me a CRESCER.


Cresci.
*Bea

terça-feira, fevereiro 16

Sofrimento





Sofrimento é qualquer experiência aversiva (não necessariamente indesejada) e sua emoção negativa correspondente. 







Sucinto. Simples.  A definição de sofrimento que encontramos quando nos damos ao trabalho de procurar...
Mas esta definição está generalizada, para que todos a percebam. Mas o meu sofrimento é outro.


Para mim, o sofrimento vem sob diversas formas: emocionalmente, fisicamente, mentalmente, espiritualmente.
Agora sofro. Sofro em todos os parâmetros do sofrimento. Esta dor que começou internamente espalhou-se, e agora domina-me. Controla-me. Comanda-me.


De que nos vale confiarmos? De que nos vale dar-nos a conhecer? 
Para sairmos magoados? Para estarmos a acreditar em algo que não existe?
Porque é que nos abrimos alguém? Porque é que ...


Tantas dúvidas pairam no meu ser, no meu interior, em busca de uma resposta e eu sem saber as saciar. Sim, avisaram-me. Sim, eu ponderei. Sim, eu escolhi. Livre e autonomamente. De acordo com o coração, ignorando a mente, ignorando a Razão.
Escolhi e agora aguento as consequências.


Sei que tudo vai passar, sei que o tempo cura tudo, sei que vai perdurar uma amizade. Sei que vai ficar tudo bem...


Mas entretanto sofro.


*Bea



segunda-feira, fevereiro 15

SENTIDO DA VIDA

Nem sempre é fácil acordar, ter vontade de abrir os olhos, enfrentar mais um dia…nem sempre é fácil pensar no futuro, lembrar o passado e viver o presente…não há pessoas iguais ou momentos…e o tempo não volta a trás, não é fácil escolher, não é fácil dar um passo, não é fácil arrependermo-nos de atitudes que tivemos, não é fácil admitir que estivemos mal, não é fácil pedir desculpa, não é fácil viver…
Ao longo da vida vamos alcançando cada vez mais degraus, vamos conhecendo pessoas, perdendo outras, é a lei da vida! Vamos aceitando os factos e os desafios mesmo sem estar de acordo, porque mesmo que a vida nos mande ao chão existem ainda grandes pessoas que estão lá…e que dão tudo por nós e nos fazem ver outro lado da vida, o amor, a paixão, amizade, carinho, as saudades, os bons momentos e as lições dos maus momentos, pois é a vida que nos envolve e aquilo que vivemos ao longo da mesma é o que nos forma e deve-se a esses momentos a nossa maneira de viver e ver a vida!
Ainda há pessoas que nos dão a mão quando todos nos viraram as costas e apontaram o dedo, que nos ensinam e que nos mostram porque estamos errados, essas pessoas são poucas mas existem, pessoas que nos respeitam e aceitam tal como somos!
A uns dias tive uma experiencia fantástica que me tocou e mudou muito, um retiro com grandes amigos, que me mostraram que o mais importante não é viver mas sim saber para que se vive, não basta respeitar a vida dos outros quando nem a nossa respeitamos, ensinaram-me a dar valor á vida e a pensar nela e olha-la com outros olhos. Mostraram-me também o quanto fui fútil e egoísta, o valor que dava a coisas tão insignificantes e o desprezo que dava a coisas tão especiais e tão importantes que nem sabia que existiam.
Aprendi que quando dou a mão ao outro não o estou a ajudar mas sim ele esta a ajudar-me …
Aprendi que não preciso ter vergonha daquilo que sou porque existem pessoas que me adoram tal como sou…
Apesar das guerras, doenças, mortes, brigas, etc., existem coisas tão mais especiais, tão grandes, tão importantes, como o nascimento, o amor, etc.
Muitas vezes pensamos que sabemos tudo, mas se pensarmos bem o saber é tão grande que o que eu sei é tão mas tão insignificante…
Pensamos que esta tudo contra nos, que temos uma porcaria de vida, que só nos atice desistir, mas nem pensamos o quão injusto e egoístas estamos a ser, e as pessoas que a vida nos deu? E os bons momentos que com elas passamos? A casa? A comida? A roupa? A agua que temos?
A cada segundo morrem milhares de pessoas com fome etc. Sem nos darmos conta, e o que estas pessoas não davam para ter ¼ do que nos temos?!
Para poder comentar a vida é necessário conhece-la em vez de criticar sem pensar duas vezes é tentar conhecer sempre um pouco mais da mesma e do que esta nos oferece! Devíamos era elogia-la e venera-la!

Para viver precisamos aceitar pequenos factos:
  • Todos erramos, todos pedimos desculpa
  • Todos perdoamos, o que não significa esquecermos mas sim perdoar o erro do outro, tal como gostamos que nos perdoem
  • Todos temos liberdade de escolha/ pensamento/ opinião
  • Todos nos devemos respeitar, incluindo a nos próprios
  • Todos rimos e podemos ser felizes
  • Todos somos capazes de tudo basta querer-mos, lutar-mos e conquista-mos o mundo
  • Nunca desistir, nem podemos pensar em
  • Ninguém tem o direito de nos deitar a baixo, de nos rebaixar, de nos impedir de ir mais longe, tal como nos não temos esse direito
  • Todos devemos ser amigos verdadeiros, não de ocasião
  • Todos devemos conhecer a realidade e ser sempre nos mesmos, quem gosta que não gosta é porque não nos merece…ABRAÇA A VIDA E AQUELES QUE FAZEM PARTE DELA E TA COMPLETAM incluindo EU!!!

3.11.2009

Reflexão sobre um retiro fantástico que espero poder repetir mais vezes a experiencia porque foi mesmo lindo! Um dia que marco sem duvida…
EU QUERO SER…

- CARMO

quinta-feira, fevereiro 4

Confusão


Sabem aquele tipo de pessoas que somos acabados de apresentar e já estamos à vontade de ter uma conversa, de rir à gargalhada ou, até mesmo se for preciso contar algo completamente nosso e essa pessoa dar o ombro amigo...
Sim, conheci uma pessoa assim. Sortuda eu! Ou pelo menos parece....

Aparentemente esta pessoa incrível é a ideal, gosta de nós, ri-se connosco, fala connosco... Nós gostamos dela, rimo-nos com ela, falamos com ela!


Mas...
    Como é que somos capazes de confiar em alguém que conhecemos há menos de uma semana e não sermos capazes de confiar em pessoas que conhecemos há dois, três anos?
    Como é que somos capazes de gostar de uma pessoa quando fazemos 60 km para lhe fazer uma surpresa e ela está demasiado ocupada a despedir-se dos amigos?


Se bem que....

    Esta pessoa estava a despachá-los e eles só lhe caiam em cima... 
    Esta pessoa já admitiu que gosta de nós e que quer conhecer-nos, beijar-nos, proteger-nos...
    Nós, que tentamos sempre manter as guardas em alerta (até porque já fomos magoados demasiadas vezes), chegamos ao ponto de confiar nessa pessoa que conhecemos há menos de uma semana e baixa-mo-las...


Sim, e agora falando no particular, tenho medo... Medo de sair magoada, Medo de magoar, Medo de estar enganada, Medo de estar a enganar, Medo de estar a ser enganada, Medo de estar a ser ingénua, Medo de estar a causar ingenuidade, Medo de dar um passo maior que a perna, Medo de estar a ser precipitada, Medo de tudo!


Mas quem é que alguma vez tem certezas no Amor?
Não é este um jogo em que se arrisca tudo? Ou é para ser jogado pelo seguro? 


Tantas advertências, tantos avisos, tantas incertezas, mas ao mesmo tempo, tantas emoções, tantos sentimentos puros, tanta felicidade, tanta inocência por detrás de cada sorriso, por detrás de cada palavra...

Confusão.

*Bea