segunda-feira, setembro 19

Eh Caloirada!


Tenho de imortalizar este dia, 19/09/2011.

Sou, oficialmente, caloira na FCUL, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, do curso de Bioquímica.
Hoje foram as inscrições, processo bastante complexo, e quarta começam as míticas praxes! Aparentemente este ano vai ser um ano exemplar para as praxes dado que a tão aclamada disputa entre ISCTE e FCUL se vai dar.. Quem disputa? Veteranos. Qual o arsenal que dispõem? Caloiros.

VIda de Universitária, here I come! :D

Da desilusão


Há quem não tenha a mínima noção do poder das palavras. E por ser quem são, até dói mais.
Fico fula, triste, irada, fora de mim, e até um pouco envergonhada por eles.
Ultrapassa-me a falta de tacto, a incapacidade de atenção, de sensibilidade. É demais.

Para a idade que tens, já devias saber o que dizer e o que manter para ti, ficando envergonhado de tal pensamento ter, sequer, sido criado.

Não digo mais nada, já falei demais. Para bom entendedor, meia palavra basta, mas tendo em conta que de bom entendedor nada tens, ficou mais explícito.

sexta-feira, setembro 16

Dos Peixes Mordedores


Estes têm sido os melhores dias de todo o Verão! Dias ou tardes inteiras na companhia de quem nos faz realmente falta é as good as it gets.
Só tenho que agradecer pelas pessoas que fazem parte da minha vida.
Tenho uma sorte que nem me passa. Eu tenho uma noção da sorte que tenho, da magnitude dela. Dá a volta à estratosfera.
Tenho quem me apoia diariamente, quem me aconselha, quem me ouve, quem me orienta, que me fortalece, quem me desafia, quem me agoniza, quem me tira do sério e quem me acompanha.
Tenho os melhores do mundo, e por tudo o que fazem por mim, seja esse tudo traduzido por uma tarde bem passada ou uma história repleta de aventuras, obrigada. Obrigada mesmo. Se não tivesse um de vocês comigo, eu não seria, de certeza, quem sou hoje.

What I've got is gold.

quarta-feira, setembro 7

How do you want to fill your maze?


Quando alguém te disser "Tens tanto potencial", não aceites enquanto elogio; recebe a crítica.
Só se usa a palavra potencial quando se vê alguém com uma chama ardente por dentro e com cinzas cá fora, quando se sabe existir um génio dentro de uma carapaça tímida, quando se sente a mudança em quem segue a maioria.
Se te disserem que tens potencial, fica envergonhado.
Se ficares envergonhado, desenvergonha-te e luta contra o que te está a atrasar, contra o que te define enquanto potencial. E mostra-te capaz. Acorda.


*Bea


(ROUBAR É FEIO. NÃO ROUBEM O QUE É MEU POR FAVOR)


segunda-feira, setembro 5

4 níveis do saber



Não sei que não sei

Nunca antes fomos deparados com tal questão, realidade, acontecimento, pelo que não sabemos da sua existência, bem como não sabemos como lidar com tal questão, realidade ou acontecimento.
(ex.: atar os sapatos. Eu nem sabia o que eram sapatos, quanto mais para que serviam aqueles cordões!)

Sei que não sei

Chega o dia em que a questão, realidade, acontecimento aparece à nossa frente e em nós percorre o frio que nos diz "oh bolas, e agora?". Já conhecemos o problema, não sabemos ainda a solução.
(Ah! Os sapatos é aquela coisa que fica nos pés.. Então e agora?)

Sei que sei

Precisamos então de ajuda de quem sabe solucionar o problema. Esse alguém ensina-nos, passo a passo, e nós memorizamos a sequência. Sempre que nos depararmos com a questão, realidade, acontecimento, vamos parar, pensar, lembrar e fazer.
(Hmm, então cruzo os cordões, passo um por baixo do outro, faço dois laços e dou uma volta)

Não sei que sei


Interiorizamos tão profundamente o ensinamento que passa a fazer parte de nós. Vem automaticamente, sem termos de pensar, sem nos apercebermos do que estamos a fazer).
(Enfia o pé no sapato, faz umas coisas com os atacadores enquanto vê as notícias e bebe o resto do café)

Eu agora estou entre a segunda e a terceira fase, o que se torna um pouco frustrante. Há coisas que sei como fazer, como indicar ou onde encontrar, mas tenho de parar para pensar antes, como também há coisas que preciso de alguém ao meu lado a me ensinar, e receio que esta necessidade, embora natural, esteja a ser traduzida por quem me ajuda como um fardo. Quero ser boa em pouco tempo, mas não me está a parecer muito exequível.
A ver vamos como isto corre.

*Bea


(ROUBAR É FEIO. NÃO ROUBEM O QUE É MEU POR FAVOR)