segunda-feira, novembro 29

Despedidas

Se uma pessoa não se despede, não é por ser mal-educada ou porque se esqueceu de ti. Uma pessoa não se despede porque não se quer despedir! Quer manter-te na sua memória como sendo alguém que continua ali, que não fugiu, que não desapareceu.
O não despedir não passa de um elogio! Quer dizer que és importante, quer dizer que não te querem perder.
Então porque é que te vais despedir? Mais valia ficado(a) quieto(a) sem dar aquele abraço ou aqueles dois beijinhos que ficavas muito melhor, ou pelo menos deixavas a pessoa que estava a partir mais calma. Até porque partir não fazia parte dos planos da pessoa que partia. Até porque a pessoa que partia queria ficar contigo. Até porque a pessoa que partia sentia-se tão mas tão bem ali onde estava antes de partir!

Mais do mesmo, lá está.
*Bea

mais do mesmo

Não é isto o que preciso agora.
Não é de despedidas que me alegro.
Não é de abraços do tipo "não vás embora, por favor" que vejo o dia com mais cores.
Não é de beijos que por si só antecipam a saudade e a angústia que sinto maior conforto.
Não é de estar em casa que me sinto melhor.

Preciso de ti, de vocês.

*Bea

nem mais nem menos

Acho incrível

- a incapacidade de manter uma conversa
- a futilidade
- a imaturidade
- a labreguiçe
- a desonestidade
- a ganância
- a falta de tacto
- a  lata
- a idiotice
- a falsidade.

O que me surpreende ainda mais é mesmo como tudo isto está enrolado num novelo que envolve duas pessoas apenas.
Como é que cada uma delas consegue ter tanta nojice em si e nem se aperceber?
Incrível.

*Bea
Descobri que até eu sei chorar. E quando as lágrimas começam, não param.

*Bea

domingo, novembro 21




Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego
Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público
Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contra-mão atrapalhando o sábado

segunda-feira, novembro 8

O que é que te move?

Texto adaptado de: http://conversasnapraiadalua.blogspot.com/2010/11/o-que-e-que-te-move.html


"(..) Uma das lições mais valiosas que aprendi durante estes anos é que "Cada acção tua vai ter uma reacção de outro", seja ela boa ou má. Tudo, sublinho, tudo tem consequências, por mais ínfimas que sejam. O que dizemos e o que fazemos. E a responsabilidade é toda nossa, quer queiram quer não. 

Depois é um ciclo, as nossas acções são reacções das acções dos outros. Nós é que acabamos por comandar o que nos acontece, ou o que deixamos que nos aconteça. Isto acaba por criar um conflito. Todos querem coisas diferentes, e se nos deixamos estar no nosso lugar a querer comandar a nossa vida sem ter em conta os que estão à nossa volta, das duas uma, ou passamos a ter connosco pessoas infelizes (que vão acabar por deixar de se dar pois deixa de valer a pena) ou acabamos sozinhos. E a solidão é muito triste. Não é por andarmos rodeados de gente que nos sentimos menos sozinhos. Às vezes uma pessoa especial é suficiente para acabar com a nossa solidão, outras vezes cem pessoas não conseguem essa proeza.

Por fim, o que é que nos leva a fazer o que quer que seja? Quais as nossas razões? O que é que nos leva a dar um passo à frente, ou três para trás? O que é que nos leva a ganhar tomates e assumir os nossos erros, ou a fugir com o rabo entre as pernas? O que é que nos leva a prometer, e a cumprir? O que é que nos leva a esperar ou a virar costas? O que é que nos leva a dizer que "sim" ou que "não"? O que é que nos leva a mudar, ou a ficar na mesma? O que é que nos leva a lutar, ou a desistir? 

É dentro de nós que encontramos a resposta e a decisão. 
Tudo depende do que temos a dizer quanto a uma simples pergunta:

"É o medo ou o amor que te move?" "


*Bea
After awhile you learn the difference, 
The subtle difference between holding a hand and chaining a soul.

And you learn that love does not mean leaning, 
And company does not always mean security.

And you learn that kisses are not contracts 
And presents are not promises.

And you begin to accept your defeats with your head up and your eyes ahead with the grace of an adult and not the grief of a child.

And you learn to build all your roads on today because tomorrow's ground is too uncertain for plans, and the future has a habit of falling down in mid-flight.

After a while you learn that the sun burns if exposed for long... And learn that no matter how much you care, some people just do not car...

And accept that no matter how good a person, She will hurt you once in a while and you need to forgive her for that.

You learn that talking can ease emotional pains.

Discover that it takes years to build trust and only seconds to destroy it, and what you can do things in an instant of which you will regret for life.

Learns that true friendship continues to grow even over long distances.

And what matters is not what you have in life, but who you are in life.

And what good friends are the family that allowed us to choose. You learn that we do not have to change friends If we understand that friends change, realizes that his best friend and you can do anything, or nothing and have good times together.

Discovers that the people you most care about in life are taken from you so quickly, So we must always leave loved ones with loving words, may be the last time we see them.

Learns that circumstances and the environment have influence upon us, But we are responsible for ourselves.

Begin to learn that you should not compare with others, but with the best you can be.

Discover that it takes a long time to become the person you want to be, and that time is short.

You learn that no matter where you have arrived, but where you're going but if you do not know where you're going, Anywhere will do.

Learn that either you control your actions or they will control, be flexible and that does not mean being weak or have no personality, because no matter how delicate and fragile the situation is, There are always two sides.

You learn that heroes are people who have done what was needed, facing the consequences.

You learn that patience requires a lot of practice.

You discover that sometimes the person you expect to kick when you fall into one of the few that help you get up.

You learn that maturity has more to do with the kinds of experience you had and what you learned from them than with how many birthdays you've celebrated.

Learn that there are more of your parents on you than you thought.

You learn that you should never tell a child that dreams are silly, few things are so humiliating, and would be a tragedy if they believed it.

You learn that when you're angry you have the right to be angry, but that does not give you the right to be cruel.

You realize that just because someone does not love you the way you want that love does not mean that someone does not love him, Because there are people who love us, but just do not know how to show it.

Learns that it is not always enough to be forgiven by someone, sometimes you have to learn to forgive himself.

Learn that with the same harshness you judge, at some point you will be condemned.

You learn that no matter how many pieces your heart was broken, the world does not stop for you to fix it.

You learn that time is not something that can turn back.

So plant your own garden and decorate your own soul instead of waiting for someone to bring you flowers.

And you learn that you really can endure ... You really are strong, and can go much away after thinking it can not be more.

And that life has value and that you have value in life!

Our doubts are traitors and make us lose the good we could take, if it was not afraid to try.

 William Shakespeare

segunda-feira, novembro 1

da espera

Na vida só devemos esperar por algo que seja, no fundo, especial. Para que todos os dias de espera ganhem algum significado. Para que no fim tudo seja menos doloroso. Para que depois possamos ter aqueles momentos em que olhamos para trás, para o Passado, e nos apetece rir. Do que fizémos. Do que pensámos... Do que vivemos.

*Bea

por vezes não basta

Por vezes não basta o que alguém nos quer dar. Por vezes não basta que alguém nos tente compreender. Que tente esforçar-se... Que tente lutar... Que despeje nas nossas mãos mil palavras. Não basta que tente. Por vezes não nos basta isso. Tentativas. Tentativas que, no fundo, não nos enchem o coração.


*Bea

da completa desilusão



Podemos entristecermo-nos com as palavras mais cruéis. Podemos sofrer as maiores injustiças. Criar feridas abertas no nosso coração. Caminhar dias e dias sem fim com dúvidas que nos atormentam. Que nos atiram para sítios inimagináveis de sofrimento. Mas para mim, nada destroça tanto por dentro, como uma grande desilusão. Uma desilusão vinda, principalmente, de alguém que nos ocupa um lugar tão grande no coração. E é como se de repente as árvores estivessem mais despidas, os campos mais desertos, as músicas com menos melodias, as palavras com menos significados. Porque o lugar no nosso coração ficou irremediavelmente com menos, muito menos, brilho. Torna-se num lugar de memórias antigas, que mais não fazem do que nos obrigarem a lembrarmo-nos de que o nosso coração, no fundo, no fundo, só nos pertence a nós. E somos nós que temos de o carregar, com mais ou com menos pesar, com mais ou com menos vontade, com mais ou com menos vida.

*Bea

de fones postos

De fones postos aumento o volume até não ouvir nada, nem o bater do teu coração, nem o bater do meu, nem a tempestade formada pelos meus pensamentos.
De fones postos entrego a minha mente à música, ao ritmo desconcertante e à letra indubitável. 
De fones postos esforço-me por te esquecer, por vos esquecer.


Peço-vos que me deixem esquecer-vos.


*Bea