domingo, agosto 22

[...]

As férias de Verão são um parêntesis no decorrer normal do tempo.
Por vezes sinto que fui sugada para uma dimensão diferente em que as regras do mundo em que vivemos não se aplicam.

Sem exageros. Até o céu tem um azul diferente.


É fascinante, são a única altura do ano em que há tempo para perder tempo!
A música torna-se mais definida e os ritmos misturam-se, para preencher a vastidão branca das horas.
Os dias ocorrem e sucedem-se, luminosos, sem sombra das responsabilidades de outrora.

Mas isto é apenas uma pausa. Este tempo, esta dimensão, afinal sempre está limitada por uma regra; a de ser finita.
E os deveres são um boomerang muito pesado, mesmo que se atire muitas vezes, volta sempre.
O seu regresso irá assinalar o fim.. de um ciclo.

*Bea

Sem comentários:

Enviar um comentário