sexta-feira, agosto 27

O Nada

Sentei-me,
liguei o computador,
abri o Safari,
entrei no Armazém,
cliquei na Nova Mensagem,
e paralisei.

Como?
Saí da sala com uma vontade de escrever, consumia-me por dentro. Sabia que tinha de parar o meu mundo por uns breves instantes e concentrar-me numa única coisa: escrever.
Queria silenciar tudo o que me envolve e ouvir apenas as teclas a ressoar consoante cada letra que no ecran aparecia e a musica ambiente que escolhesse.
Queria pintar uma história ou recitar um poema.
Queria criticar uma memória ou decifrar um enigma.
Não sei bem o que queria, mas sabia que tinha de escrever.
Mas por vezes o impulso que sentimos dentro de nós não é o suficiente - como é, claramente, o caso. Não basta querer para acontecer.

Tal como já disse, sentei e bloqueei. Tudo o que escrevia, apagava. E porquê?
Antes de todos estes parágrafos não sabia a resposta a esta simples questão, mas agora talvez já saiba. Apagava porque tudo aquilo eram coisas previamente pensadas, delineadas. Não era o que sentia, era o que ensaiava.

Bela lição a retirar do Nada: não ensaies, faz.

*Bea

1 comentário:

  1. amo este texto e que e mesmo isso, isto tbm m acontece xSSSS

    ResponderEliminar