sexta-feira, agosto 13

Como Sobreviver à Vida?

Como sobreviver à Vida?
Esta questão é posta por tantos e tantos e fica a pairar no ar, em nós, nos outros, mas sempre (ou quase sempre) sem resposta.
Também eu parava e procurava solucionar este problema, conseguindo apenas encontrar fantasias, convencendo-me de que não preciso de me preocupar com tal coisa, até porque a mim nunca acontecerá nada de mal!
Pois acontece que com o passar do tempo, com o ganho de experiências tenho vindo a aperceber-me de que a Vida não escolhe quem vai tramar a dedo.. Não, ela escolhe quem muito bem lhe apetecer, sem qualquer razão aparente - portanto ao acaso. Tendo isto presente, cada vez mais me questiono: Como irei Sobreviver à Vida?
Pois hoje cheguei a uma fantasia muito menos inatingível. Aliás, arrisco-me a dizer que é a solução ao nosso problema. Ora ouve:


Once upon a time um camponês perdeu o seu burro. Ele procurava e procurava e não o encontrava.
Um certo dia o camponês resolveu ir passear, aproveitando o belo dia de sol. Foi andando e andando até que ouviu um ruído. Parou e escutou melhor. Aquilo não era nenhum ruído! Era um som para ele muito familiar: o zurro do burro.
Correu seguindo o som ate chegar a um poço muito fundo. Chegou-se perto dele e olhou para baixo. Para seu grande espanto lá encontrou o seu burro.
Estava feliz por o animal não ter morrido, mas frustrado por não saber como o tirar de lá. Passadas várias horas a pensar em estratégias e esquemas, o camponês resolveu desistir insatisfeito com os seus esforços em vão.
No dia seguinte chamou toda a aldeia para o ajudar a encher o poço com terra. O burro já era velho e há muito que não comia nem bebia. Não devia aguentar muito mais tempo.. Então assim o camponês se convenceu de que seria um funeral digno para o burro, e uma boa acção para o resto da aldeia, prevenindo assim futuros incidentes.
Todos se juntaram, cada um com a sua pá e o seu monte de terra para fechar o poço. Começaram a lançar terra e o burro zurrava incessantemente. Passado umas longas horas, todos se espantaram quando o burro se calou. Fizeram um minuto de silêncio e prosseguiram o soterro do poço.
Depois de mais umas quantas pazadas, o camponês voltou a olhar para dentro do poço, e qual a sua surpresa quando viu o que acontecia a cada pazada. Pelos vistos, sempre que terra era lançada para dentro do poço e caía em cima do animal, este sacudia-se, fazendo com que a terra caísse no chão. Com o constante aumento de terra dentro do poço, o burro conseguia ir subindo cada vez mais alto até chegar ao topo. Cada pazada equivalia a uma sacudidela, que, por sua vez, equivalia a um novo degrau!

Aprende com o burro! Também a vida te vai atirar terra para cima, terra de todas as formas e feitios. Mas tu, o que vais fazer? Vais deixar que ela te soterre? Ou vais sacudir a terra e usá-la como escada?
Todos os obstáculos são oportunidades! Não há problemas, apenas desafios que testam a nossa capacidade de os ultrapassar!

Faz a tua própria escada e usa-a.

*Bea

Sem comentários:

Enviar um comentário