sexta-feira, agosto 19

Propósito

Quão patético é o ser humano.
Qual o nosso propósito?
Temos consciência, livre-arbítrio, liberdade, tempo, vontade, capacidade. O que nos impede?
Porque é que, dia após dia, há quem se sujeite a trabalhar horas a fio e ver tão pouca recompensa?
Fomos feitos para isto? Temos anos e anos de educação, "treino", para nos enfiarmos num cubículo?
Estaremos condenados a nascer, viver morrer? Estaremos condenados à rotina? Será que fomos postos neste mundo para vivermos um quotidiano calmo, certo, organizado, estruturado?

Não estaremos antes destinados a aproveitar?
Qual a maior alegria de sempre?
O que te faz brilhar por dentro? O que te faz sentir especial?
Amor.

Para encontrar amor, temos de procurar.
Procuramos, encontramos, aproveitamos, acaba. Procuramos, encontramos, aproveitamos, acaba. Procuramos, encontramos, aproveitamos, acaba.  Visto por fora, tudos isto parece muito, como dizer?, patético, tendo em conta que a maior parte dos relacionamentos que iniciamos vão acabar rapidamente.
Mas continuamos a fazê-lo. Porque nos aquece a alma. Porque nos faz sentido. A nossa existência passa a fazer sentido.

Mas não será isto colocar a meta muito em baixo?
Qual o maior reconhecimento de sempre?
O que te realiza? O que te faz sentir especial?
Conhecimento.

Sendo nós, até agora, a raça mais avançada do planeta, com todas as poderosas ferramentas a nossas mãos, temos o dever de avançar em investigação, saciar o desejo de nova informação.
Somos seres curiosos, insatisfeitos por natureza. Temos a ambição de saber sempre mais. Temos o direito e o dever de descobrir todas as maravilhas que nos são oferecidas e que não utilizamos, talvez por desconhecimento, talvez por esquecimento.

Arrisco-me a dizer que estamos destinados a desvendar os mistérios que nos rodeiam. Para isso temos de desligar de muita coisa que tomamos como certas, como verdades irrefutáveis, e temos de começar a questionar tudo.

Todos temos emoções, desejos, crenças.
A vida é isso mesmo. Ampliar as emoções, Alimentar os desejos e Honrar as crenças.
Temos tudo a nosso dispôr.
Somos donos do Mundo se, e muita atenção ao se, soubermos partilhar.

Nunca esqueçamos que não estamos aqui sozinhos. Existe mais gente à nossa volta. O Mundo é NOSSO, não meu, nosso.



*Bea

(ROUBAR É FEIO. NÃO ROUBEM O QUE É MEU POR FAVOR)

4 comentários:

  1. Adorei! Não podia estar mais de acordo! :)

    ResponderEliminar
  2. aproveitar n é necessariamente a quebra de rotina... :) uma vez que tudo tende para a máxima entropia, o ser humano procura estabilidade para precisamente contrariar essa tendência. Rapidamente nos fartamos de procurar amores que falham e desiludem. Gostei! "Existe mais gente à nossa volta. O Mundo é NOSSO, não meu, nosso." :D

    ResponderEliminar
  3. Ya. Se bem que há cenas que podiam não existir no mundo como vicios que estragam pessoas. >.>

    ResponderEliminar
  4. ... o blog já voltou de férias no seu melhor :)

    ResponderEliminar